BIOGRAFIA

Podemos conhecer uma pessoa através de suas atitudes. Desde criança José Carlos Nunes demonstrava se preocupar com o próximo. Nascido em uma família humilde, seu pai Arlindo e sua mãe Cacilda lhe ensinaram os primeiros princípios da vida: o amor, caráter e a humildade.

Filho dedicado e comprometido sonhava em ser jogador de futebol, mas precisou deixar o sonho de ser profissional para ajudar o pai, que era pedreiro, no sustento da família. Morador de Vila Velha é casado com Deisi e tem três ¬ filhos, os lutadores de MMA: Bruno, Gabriel e o campeão Erick Silva. Nunes também é avô de Isabela e Kalleu.
Sua trajetória no movimento sindical começou aos 18 anos quando ingressou na categoria comerciária. Em 1982 ajudou a eleger a diretoria do Sindicomerciários/ES que romperia com o perfil patronal da entidade e assim, começava a luta pelos direito dos trabalhadores. Nunes trabalhou em diversas áreas do comércio, onde se destacou nos campeonatos de futebol patrocinados pelo Sindicato o que levou a ser escolhido representante dos trabalhadores no comércio no estado no I Congresso Nacional dos Comerciários, que criaria o Departamento Nacional dos Comerciários da CUT, em 1990, atual Contracs. Naquele mesmo ano foi convidado a compor a chapa que concorreria e venceria as eleições do Sindicato para o triênio 1991/94. É nesta fase que se inicia sua luta como dirigente.

Desde então não parou, e a partir de 1994 assume a vice-presidência do Partido dos Trabalhadores de Vila Velha e a Secretaria de Imprensa da CUT-ES e também voltou a ser a eleito como presidente do Sindicato para mais dois mandatos (2000/2003 e 2003/2006).

Outra luta importante foi em torno de um combate incisivo contra o comercio aos domingos, foram feitas manifestações e depois de 11anos, anunciou na televisão a conquista do direito dos comerciários e comerciárias de supermercados utilizarem seus domingos para o descanso, o lazer, a prática esportiva, o exercício de atividades religiosas, à vida em família e o contato com os amigos.

Como presidente da CUT-ES (2006-2009) atuou na rearticulação da central sindical com os demais movimentos sindicais e sociais. Tão logo assumiu a presidência da central sindical também coordenou o projeto que veio a publicar o livro sobre os 25 anos da CUT-ES e em 2008, os 25 anos da CUT-ES foram destaque através do samba-enredo da Unidos da Piedade.

Também sempre esteve entre aqueles que trabalharam para a demarcação de terras indígenas quilombolas e a criação da Coordenação dos Movimentos Sociais.
Colhendo os frutos de um trabalho árduo e competente, Nunes foi reeleito para o mandato de 2009 a 2012, e novamente eleito para mais um triênio 2012 a 2015.
Em relação às eleições, já teve algumas experiências, mas foi a partir de 2010 que sua verdadeira liderança aflorou, e assim, fez com que em 2014, ganhasse a disputa para eleição a Deputado Estadual, com 26.740 votos.

Como deputado a prioridade será em defesa dos interesses da classe trabalhadora. O mandato terá lado e será um mandato classista e democrático. Tudo será discutido e para isso os movimentos populares e sindicais terão voz e vez no gabinete.

Nunes Sempre focou pelo diálogo, mas se caso o diálogo esgotar, vai estar preparado para debate, e se for necessário o embate.